História

Catedral_Metropolitana

Em 1948, quando  fortes terremotos abalaram regiões do Japão provocando calamidades de todo tipo na população local, a Igreja Católica quis contribuir com um fundo para socorrer as vítimas.-

Nesse momento a Igreja sentiu a necessidade de contar com um organismo responsável por captar e distribuir recursos, a nível internacional, destinado as populações vítimas de catástrofes em qualquer parte do mundo. E em 1950 na ocasião do Ano Santo , a Santa Sé criou oficialmente a Cáritas Internacional. Durante os 15 anos seguintes, a Cáritas se expandiu nas regiões católicas e ampliou sua atuação junto as populações carentes no mundo.-

No Brasil, em 1955, durante o 36º Congresso Eucarístico Internacional, iniciou-se o estudo para fundar a Cáritas no Brasil. E Em 12 de novembro de 1956, a Cáritas Brasileira tornou-se uma realidade.  

A Cáritas é uma organização não governamental da Igreja Católica e organismo da CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Seu princípio é contribuir para um mundo mais digno e mais justo, principalmente para as pessoas excluídas da sociedade. No início a Cáritas partiu para uma prática assistencialista, ajudando a camada mais pobre da população, realizando a distribuição dos mantimentos através de doações vindas de organizações européias.

Atualmente, a Cáritas Brasileira assume a palavra caridade no sentido de solidariedade, na perspectiva da “solidariedade pela vida”. A Cáritas atua na defesa dos direitos humanos e do desenvolvimento sustentável solidário na perspectiva de políticas públicas, com uma mística ecumênica. Seus agentes trabalham junto aos excluídos e excluídas, muitas vezes em parceria com outras instituições e movimentos sociais.

Já em São Paulo a CÁRITAS ARQUIDIOCESANA DE SÃO PAULO – CASP, é um organismo da Arquidiocese de São Paulo, fundada em 04 de abril de 1968 e com refundação em 18 de outubro de 1987, atuante até os dias de hoje, articulando e organizando a prática da solidariedade das comunidades em favor das vítimas das emergências naturais e dos excluídos nas urgências sociais.

Fontes: Manual do voluntariado CASP; Relatório CASP – 1996; Cáritas na promoção da solidariedade – Como Organizar a ação Cáritas – da Cáritas Brasileira – série Cartilhas.