Centro de Referência para Refugiados da CASP divulga dados do atendimento realizado em 2016

 24.03.2017

O Centro de Referência para Refugiados da Caritas Arquidiocesana de São Paulo (CASP) divulgou nesta semana o relatório baseado nos atendimentos realizados em 2016. No último ano, foram 6.370 pessoas atendidas, dentre as quais 3.234 chegaram à Caritas pela primeira vez.

Os quatro principais fluxos migratórios identificados são de Angola, Nigéria, Congo e Síria, cujos motivos estão associados a graves e generalizadas violações de Direitos Humanos e a temores de perseguição política, religiosa ou grupo social. O Centro de Referência para Refugiados da CASP possui um total de 12.848 pessoas cadastradas (ou seja, que já precisaram de algum tipo de atendimento oferecido na instituição).

Novas chegadas – Gênero   

 Até 2013, era mais comum a chegada de homens sozinhos (solteiros ou com a intenção de trazer a família ao Brasil), vindos de países africanos. Mas nos últimos dois anos, cresceu o número de mulheres, sozinhas e/ou acompanhadas pelos filhos.

Ainda de acordo com dados da CASP, as mulheres configuram um perfil de alta vulnerabilidade entre os refugiados recém-chegados, sobretudo por conta dos filhos. Em 2016, passaram pela Caritas 173 gestantes. Outro grupo vulnerável é o de menores desacompanhados, que no relatório do último ano registrou 14 jovens do sexo masculino e 9 do gênero feminino.

 O nível de escolaridade se manteve próximo aos números identificados em relatórios anteriores, com 38% dos refugiados com ensino médio concluído e 20% com ensino superior completo, o que demonstra a capacitação das pessoas que chegam ao país.

 Confira o relatório completo

 

 

Por Alessandra Rossi